Caracterização

Apresentação

O rio Verde Grande é um importante afluente da margem direita do rio São Francisco. Por abranger limites entre os estados de Minas Gerais e da Bahia, o rio Verde Grande, assim como seu afluente o rio Verde Pequeno, é considerado um rio de domínio da União.

População

A bacia  possui uma área de 31.410 km², que abrange oito municípios na Bahia (13% da área total) e 27 municípios em Minas Gerais (87% da área total), conforme Figura 1. A população é de 958.260  habitantes (IBGE Cidades, 2019), que corresponde a cerca de 5% da população total da bacia do São Francisco. A maior parte da população está concentrada no município de Montes Claros, responsável pela expressiva expansão urbana na bacia.

Clima

Localizada na região do semiárido brasileiro (Norte de Minas e Oeste da Bahia), a bacia do rio Verde Grande possui, conforme a classificação de Köppen, clima tropical quente e úmido do tipo Aw, que se caracteriza por verões quentes e invernos secos com temperaturas mais amenas. A sazonalidade é outro fator marcante do clima da Bacia, em que se observa uma estação chuvosa (outubro a março) e uma estação seca (abril a setembro) bastante definidas. No período de chuvas ocorre mais de 90% da precipitação anual.

Bioma

A fitofisionomia da região da bacia do rio Verde Grande se caracteriza como uma zona de transição entre o Cerrado e a Caatinga, com presença de remanescentes de Mata Seca. O relevo, em sua maior extensão, é bastante plano, sendo as altitudes mais elevadas observadas nas áreas do Médio e Baixo Gorutuba e Alto Verde Pequeno. É importante destacar que devido a geologia cárstica, característica da região, é possível identificar sumidouros naturais em pontos ao longo da porção do Médio Verde Grande. No período de seca, a vazão do rio Verde Grande fica comprometida, pois a água do rio recarrega o aquífero adjacente à margem esquerda do rio por meio desses “buracos”.

Uso e Ocupação do Solo

Quanto ao uso e ocupação do solo é predominante na bacia duas grandes categorias: uso antrópico (53%) e a cobertura natural (47%). O uso antrópico corresponde a todas as atividades socioeconômicas, tais como agropecuária, urbanização e irrigação. Já a cobertura natural, refere-se às feições naturais, ainda que não totalmente preservadas, com destaque para a presença dos remanescentes de vegetação de áreas protegidas no Alto Gorutuba, Alto Verde Grande e no Baixo Verde Grande.

Economia

A configuração econômica da Bacia é marcada por atividades do setor de Serviços e Indústria que possuem maior representatividade no PIB, com destaque para Montes Claros como principal polo regional e outros municípios como Janaúba, Jaíba, Porteirinha (MG) e Urandi (BA). Porém, a agropecuária é a atividade que demanda maior consumo de água na Bacia e é também responsável pelo emprego de 50% da população economicamente ativa. Na produção agrícola, o principal cultivo temporário é o milho, seguido dos cultivos de feijão e algodão. Dentre os cultivos, permanentes, destacam-se a banana, manga, coco, limão, laranja, café e mamão. Estima-se que a Bacia possua uma área de 38,7 mil hectares irrigados, com